sexta-feira, 29 de outubro de 2010

A PALAVRA

A PALAVRA

----------------Gerana Damulakis


Por que não a encontro?

Apalpá-la como se dura,

como quem alisa a rocha,

surpresa, por imaginá-la pura;

isso é perder-se de propósito

na floresta?



Sábia, esperando

ser colhida e viva, ela,

no monte sólido de cinzas

(donde a ave não renascerá),

parece flor, contemplativa.



Ilustração: Vendedora de flores, de Diego Rivera (1886-1957).

6 comentários:

Rayuela disse...

son las
palabras
las
que te contemplan.



beso*

Marcantonio disse...

Mas esses seus poemas são impressionantes! E esse "A PALAVRA" me parece perfeito, pelo que expressa e da forma que expressa.

Abraço.

Assis Freitas disse...

ave palavra bem dita, concordo com o Marcantonio em genero, número e grau,


abraço

aeronauta disse...

"flor contemplativa": linda definição para a Palavra!
Poema todo perfeito.

João Renato disse...

Se parece flor contemplativa, muitas vezes voa.
JR.

Jefferson Bessa disse...

A Palavra escapa de modo impressionante, Gerana! Às vezes sólidas, às vezes líquidas, escapam ou ficam. Gostei muito. Beijos.