quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

LEMBRETE

Gerana Damulakis

Ah! Quantas vezes digo para mim mesma os versos do "Lembrete" de Drummond.

Se procurar bem, você acaba encontrando
não a explicação (duvidosa) da vida,
mas a poesia (inexplicável) da vida.
                                                Carlos Drummond de Andrade

Ilustração: René Magritte. Les Enfants Trouvés: La Traversée Diffícile, 1968.  


13 comentários:

Tania regina Contreiras disse...

Gerana, sempre bom re-ouvir...Sempre bom!
Beijos,

Ana Tapadas disse...

Como eu gosto de Drummond!


Beijo

Claudio Sousa Pereira disse...

Gerana, É justamente essa poesia do Drummond, num tom mais existencial, com uma "filosofia intuitiva", num tom enigmático, inexplicavel, absurdo e profundp spbre a vida. Por isso que, para mim, a partir de "Novos poemas" (1948), Claro Enigma (1951), Fazendeiro do Ar (1954) e A vida passada a Limpo (1959) sem querer diminuir as fases anteriores e posteriores, das quais extraem-se excelentes poemas, estes quatro volumes entremostra a principal e aguda face de Drummond. Trata-se de um enorme poeta nas coisas em que acerta em cheio, o que não é tudo, como alguns se referem. É a humilde opinião minha. Beijos e saudações de Claudio.

Assis Freitas disse...

um bom motivo de encontro: vida e poesia,



abraço

Anônimo disse...

Drumond e sua marca inconfundível.

glaucia lemos disse...

Drumond e sua marca inconfundível

aeronauta disse...

Drummond, sempre, para o alento da vida. Bjos, saudades

Walkyria Rennó Suleiman disse...

É Geraninha, este ano que passou eu estive nessa corda-bamba, vc deve se lembrar de nossas conversas. Muitas vezes esse inexplicável me suicidou. E outras, encheu de esperança minhas noites!

Bípede Falante disse...

Parece que hoje estou a encontrar nos blogs preciosos todos os lembretes que preciso para construir
o meu saber.
beijoss

Jefferson Bessa disse...

Excelente "lembrar-se" do "Lembrete" de Drummond! Um abraço.
Jefferson.

GED disse...

A vida ou a poesia precisam de ser explicadas?
Tudo perderia a piada.
beijo

Henrique Pimenta disse...

gênio das letras

Francisco Coimbra disse...

Gostei de ler, Assim & Mim se inspiraram!


AS COISAS

todas as coisas
coisas outras
se encontram

até encontrar
dentro de si

o verso inicial
Assim

COISAS TODAS

o coração
aos saltos vem
para lhe responder

numa emoção
sincera
onde o Sim impera!
Mim