domingo, 28 de março de 2010

PERSONAGENS INESQUECÍVEIS: LEONARDO E BLIMUNDA SETE-LUAS


Gerana Damulakis

Tenho uma quantidade enorme de personagens inesquecíveis que, de uma forma ou de outra, me habitam. Mas tenho minhas preferências, ou aqueles que mais me marcaram. Muitas vezes sequer entendo a razão.
Ficarei, por enquanto, na literatura de língua portuguesa.
O personagem masculino que não me deixa: Leonardo, do romance Memórias de um sargento de milícias, de Manuel Antônio de Almeida (1831-1861). Publicado em livro em 1854 (primeiramente saiu como folhetim no Correio Mercantil do Rio de Janeiro), a linguagem direta e ágil contribui para que as andanças do personagem Leonardo sejam muito vivas e levem o leitor por ruas e peripécias. Leonardo, filho de Leonardo-Pataca e Maria-da-Hortaliça, nascido de uma amor que começou depois de uma pisadela e um beliscão, é um herói picaresco, um herói às avessas.
Para mim, foi um deleite quando Ruy Castro publicou Era no tempo do rei - Um romance da chegada da Corte (Alfaguara/Objetiva, 2007), trazendo o Leonardo de Manuel Antônio de Almeida para participar do romance, em outras andanças, desta feita, com Pedro, o futuro imperador.
Portanto, meu personagem inesquecível, o que primeiramente rememoro e cito seu nome como símbolo de um personagem que me encantou é Leonardo.
Agora, a feminina: aquela que instigou, criou cumplicidade, fascinou meus olhos durante a leitura foi Blimunda Sete-Luas, de Memorial do Convento, romance de José Saramago (1922- ), publicado em 1982. Possuidora de capacidades, tal como a vidência do interior das pessoas, ela faz a colheita das vontades. Inesquecível.
Portanto, meu personagem inesquecível do universo de mulheres que povoam a literatura de língua portuguesa é Blimunda Sete-Luas.

Deixe nos comentários seus personagens preferidos (um masculino, outro feminino) da literatura de língua portuguesa. Vou adorar saber quem são eles.

Ilustração: Rafal Olbinski.

43 comentários:

Fernando Campanella disse...

Boa noite, Gerana, engraçado vc falou em personagem da literatura em língua portguesa e a primeira que me veio à mante foi a cachorra Baleia, do Vidas Secas. A descrição da morte da mesma na novela é, em minha opinião, um dos marcos da literatura universal.
E por que a cachorra Baleia? Porque é sempre toda sentimento, ultrapassando os donos, tornando-se humana, ao passo que a família se degrada na miséria. Personagem inesquecível.

Grande abraço.

Fernando Campanella disse...

Ah, esqueci , este trabalho da ilustração, de Rafael Olbinski, é maravilhoso. Muito boa escolha.

Marcus Vinícius Rodrigues disse...

Memorial do convento é minha primeira leitura de Saramago. Entre as estantes da Biblioteca Central do Barris, adolescente, deparei-me com o livro. Tinha ouvido a atriz Lucélia Santos, na TV, dizer que estava lendo José Saramago. Nunca tinha ouvido falar. Peguei o livro para ler. li as primeiras páginas, o primeiro e longo parágrafo, e nunca mais deixei de amar esse escritor inimitável.

Hannah disse...

Eu viajo muito na história da Kassandra da Marion Zimmer Bradley,do Incêndio de Tróia,mas,nacional a Capitu do Machado de Assis me fascina!
Parabéns pelo texto.

Nydia Bonetti disse...

Com certeza, Gerana - moram dentro de nós para sempre - vivíssimos. Para mim, Bentinho e Capitu são imbatíveis. Beijo, boa semana.

Rayuela disse...

hola! llego por primera vez y encuentro un post de mi querida Blimunda SieteLunas! Adoro a esta mujer.
Y nos preguntás sobre nuestros personajes favoritos de la literatura en lengua portuguesa.Bien, no tengo mucha experiencia en ésto,ya que mi formación es en lengua española, pero me atevo a decir que Jesús,también de Saramago, es uno de mis personajes entrañables.

un beso*

Pena disse...

Maravilhosa Amiga:
Já reparou na sua ternura, pureza e encanto, em tudo o que escreve com delícia e cultura imensas?
É uma amiga valiosa e sensata nos Posts deslumbrantes que constrói.
Tem uma sensibilidade que fala com o seu coração.
Um texto profundo, extraordinário e fabuloso de uma significação apurada que me deixou embevecido por tanta magia literária.
Parabéns sinceros. Escreve, maravilhosamente.
Beijinhos de gratidão pela sua postura e conduta na vida e no mundo de todos nós.
Sempre a admirar o seu encanto e talento.

pena

MUITO OBRIGADO pela delícia da sua visita. Adorei.
Bem-Haja, amiga de sonho.

maria guimarães sampaio disse...

Alexandre de "7 histórias verdadeiras" de Graciliano Ramos.
As mulheres, são muitas, a que me apego ou admiro, na literatura de Jorge Amado.
E cachorro fico ainda com Graciliano, antes de Baleia de Vidas Secas, a grande Moqueca em "7 histórias verdadeiras".

Jefferson Bessa disse...

Gerana, apesar dos vários personagens que me envolvem, arrisco a citação de dois personagens da literatura brasileira que, além de serem muito bem construídos, são "monumentos" do país: o defunto Brás Cubas (Machado de Assis) e Macabéa (de A hora da estrela de Clarice Lispector).

Um beijo.

Jefferson.

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

os meus inesquecíveis são:
Negro Leleu- João Ulbado- Viva o Povo Brasileiro
Todos os Capitães de areia de Jorge Amado
O trio amoroso de São Bernado- de Graciliano

Silvana Nunes .'. disse...

Bom dia, Gerana.
Eu li este livro quando eu ainda era adolescente. Boa lembrança. Vou comprar para reler.
Beijo grande.

Pena disse...

Estimada e Simpática Amiga:
É uma talentosa e brilhante escritora que dá vida a tudo com uma beleza e pureza grandiosas. Intensa e fabulosa.
Possui uma sensibilidade poética fascinante. De sonho.

É linda, sabia?
Um versejar doce, repleto de ternura e encanto.
Adorei. Puro. Lindo.
Beijinhos amigos de respeito, estima e imensa consideração.
Sempre a admirá-la pelo talento existente e visível.

pena

Bem-Haja, fabulosa, gigante e amiga.
Adorei.
Tem um Don: MARAVILHA!
MUITO OBRIGADO pela sua visita adorável e terna.

Flamarion Silva disse...

Capitu e Diadorim (Reinaldo).
Abraço.

João Renato disse...

Gerana,
De tanto que me tornei um leitor de poesia, achei que ficaria difícil lembrar um personagem de romance ou novela.
Mas não. Acabei lembrando de muita prosa que já li.
E, para mim, o personagem imbatível é o Padre Nando, em Quarup, do Antônio Callado, que devo ter lido com 19 anos.
Aliás, o livro é todo imbatível.
Escrevendo isso agora, lembrei-me de várias passagens dele que não só influenciaram minha vida e a visão do mundo, como também se tormaram um padrão do meu gosto literário.
Um abraço,
JR.

Nilson Barcelli disse...

Gostei da Blimunda.
Mas, do Saramago, gostei de alguns personagens do "História do Cerco de Lisboa". Considero que este e o "Evangelho segundo Jesus Cristo" os melhores romances do autor. Mas ainda não li um dos primeiros que publicou, cujo nome não me lembro... que até será ainda melhor, segundo a crítica.
Parabéns por mais este magnífico post.
Boa semana, beijos.

Pedro disse...

Perosnagem masculino: o primo Basílio, do romance homônimo de Eça de Queiroz.

Personagem feminino: Gabriela, do romance de Jorge Amado, Gabriela Cravo e Canela.

Manuel Anastácio disse...

Feminino: Gabriela, de Jorge Amado, cuja sensualidade, na escrita, transcende qualquer imagem de qualquer telenovela. Masculino: o velho Vicente, de "A Morgadinha dos Canaviais" de Júlio Dinis. Sem justificação. É uma personagem secundária (se elas existem), mas que jamais me deixou desde que, com ele, partilhei de uma mesma morte.

Manuel Anastácio disse...

Juro que não tinha ainda lido o comentário do Pedro quando escolhi Gabriela.

pereira disse...

Biela, de Uma vida em segredo, de Autran Dourado.
Luís Bernardo, de Equador, de Miguel Sousa Tavares.

Chorik disse...

Livros que marcaram minha adolescência. A primeira forte identificação foi com Amaro, personagem de Clarissa de Érico Veríssimo. Feminina, volto mais ainda. Fico com Emília de Monteiro Lobato.

Kátia Borges disse...

Oi, Gerana, um personagem inesquecível para mim é Arturo Bandini, de Fante. Uma personagem que amei foi Mardou Fox, de Os Subterrâneos, de Kerouac.

JD disse...

A personagem é EMÍLIA, de Monteiro Lobato, personagem de uma saga e que foi companheira de 4 gerações. E o personagem que escolho é o RICARDO REIS, do José Saramago, de O ano da morte de Ricardo Reis.

Edu O. disse...

Que legal Gerana: Macabéia de A Hora da Estrela (Clarice Lispector) e Brás Cubas de Memórias Póstumas de Brás Cubas (Machado de Assis)

Assis Freitas disse...

Como só vale em língua portuguesa vai lá: Fabiano de Vidas Secas pela concisão e Capitu pela ausência. Explico: Capitu não tem voz na narrativa, ela é construída por Bentinho, o narrador protagonista. É éterea como nuvem mas atormenta como se fosse real. Abraço.

claudio rodrigues disse...

Também fico com a Baleia, a cachorra. Impressionante o sentimento colocado na descrição dela. Gosto da Bertoleza, de O Cortiço. O Major Policarpo.

Anônimo disse...

Gerana,mais uma vez digo que gosto muito do seu blog. Quanto aos personagens: sou 'louca' por Dom Quixote, de Cervantes. Mas jamais pude esquecer Vasco, da obra de Érico Veríssimo, e junto a ele, a alemanzinha Anneliese, do mesmo autor e livro, 'Um lugar ao sol'.Mas não é a minha preferida. Essa fica entre Capitu, de Machado, e Dona Flor,de Jorge Amado, cuja mediunidade bem brasileira me fascina. Desculpe, você pediu apenas dois. Abraços. Ana Liése Leal.

aeronauta disse...

São muitos, para cada fase da vida.
Do início da adolescência: Clarissa e Vasco.(De "Música ao longe" e "Um lugar ao Sol", Érico Veríssimo). Bjos.

Daniel Hiver disse...

Oi Gerana. Toda vez que deixas um comentário em meu blog eu admiro a concisão e sua capacidade de dizer tanto com tão poucas palavras. O que li aqui me fez lembrar da Clarissa ( Clarissa, Érico Veríssimo ). Eu adoro Clarissa e não poderia deixar de citá-la. Mas para ser honesto os dois personagens que inscrevo definitivamente como meus preferidos e mais interessantes são os seguintes: Olívia e Eugênio ( Olhai os Lírios do Campo - Érico Veríssimo ). São profundos e tão cheios de nuances que desde a adolescência, quando li, me despertaram fascínio.

Sergio Storino disse...

Parabéns pelo ótimo post! Em meio a tantos personagens marcantes citados, fiquei com vontade de reler alguns dos livros onde eles vivem.

Como falaram acima, a ilustração do Rafael Olbinski é um lindo trabalho.

Ana Tapadas disse...

Querida Gerana, que «inchada» me sinto com o teu comentário no meu blogue! - penso sempre que não mereço. Obrigada.
Também gosto muito do MEMORIAL e das personagens que referes, confesso que a personagem que mais me seduz é aquele narrador primeira pessoa que atravessa os romances de Vergílio Ferreira - tenho praticamente todos os livros deste autor. O narrador-personagem é transversal.
Beijinho

Edu O. disse...

Gerana, por favor me manda um contato para eu falar contigo. Queria ver a possibilidade de você me ajudar com o livro infantil que fiz para Judite, meu solo. Está pronto só preciso editar. Quero marcar um encontro para te mostrar. beijo e obrigado.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Querida, assim de chofre, fico com Cléo e Daniel! Roberto Freire.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Gerana, estava vendo, tua dica é tbm a de muitos heim! Sempre certeira essa leitora maravilhosa.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Gerana, rsss, eu tri-impressionada, re-voltei!
Ah, coisa boa menina!

Lisarda disse...

Nao me lembro agora dos nomes dos personagems, pero o detetíve e a garota hippie de Bufo e Spallanzani de Rubem Fonseca são memorávels (embora minha amnesia!)

Anônimo disse...

P. Feminina: Dora, de Os Capitães da Areia, porque a memória dessa obra é inesgotável, em mim.

P. Masculina: Simão, de Amor de Perdição, porque não imagino a minha vida sem Camilo Castelo Branco.

Abraço, querida Amiga

Maria Helena

Marta disse...

E que bolo post, Gerana.

Assim, sem pensar muito, se não fica muitoooooooo difícil:

Alberto Soares, do livro Aparição de Vergílio Ferreira

e

Mercedes, do livro Sinais de Fogo, de Jorge de Sena.


bjo

Bernardo Guimarães disse...

vou de jorge, cabelo e barba:
quincas berro d'água
perpétua, de tieta.

dade amorim disse...

Acho tão difícil escolher! A cada nova leitura, os personagens se mudam para minha cabeça, às vezes para o coração: a Joana de Perto do Coração selvagem, o Albert de Casa sem dono, a Agustina de Delírio, Bentinho e Capitu - é muita gente, Gerana. Tem que ser um capítulo pra cada um :D

Beijo

Edu O. disse...

Gerana, querida, eu quero te escrever com calma explicando direitinho minha idéia. Não pude fazer isso esses dias pelo corre-corre de Odete, mas reservarei um tempo só para isso amanhã ou depois. Te agradeço demais. Beijo

Inês disse...

Ana Terra, do Tempo e o Vento, e, mesmo não sendo portuguesa, o Cosmo, do Barão nas Árvores!
Adorei esse blog sobre literatura!
Um abraço!

Maria Muadiê disse...

Gerana, que saudade! FAzia tempo que não conseguia vir aqui...
Olha, não sei se são exatamente meus preferidos, mas vou falar os dois que agora chegam forte em minha lembrança: feminino: a personagem de Marguerite Duras em O Amante e O Amante da China do Norte, e masculino, o também autobiográfico personagem de Camus em O Primeiro Homem.
Beijo

glaucia lemos disse...

Minha personagem masculina é o José de Todos os Nomes -Saramago- pela personalidade estranha e pela persistência. Feminina: quem esquecerá Gabriela e sua inocente sensualidade? Por outro lado, a fortaleza de Ana Terra, de O Tempo e o vento - Veríssimo - que mulher extraordinária!