terça-feira, 24 de novembro de 2009

GÊNIO É GÊNIO



Gerana Damulakis

Guardo na memória inúmeras conversas literárias com o escritor Hélio Pólvora e uma delas foi justamente sobre Vladimir Nabokov (1899-1977). Creio que na época eu estava lendo Pnin. Hélio me disse que ao ler Nabokov, sentimos a genialidade do escritor, há inteligência "borbulhando" no texto. Íamos para a Academia de Letras da Bahia. Estranho como guardamos até o local onde foi dito algo tão definitivo e com o qual concordamos.
Sou tão fanática por Nabokov que tenho até raridades, tais como Somos todos arlequins, A verdadeira vida de Sebastião Knight, O mago, todos precisando reedições.
Mas a Alfaguara Brasil está lançando hoje O original de Laura, com tradução de José Rubens Siqueira. Trata-se de um romance a partir de fichas deixadas por Nabokov. Nas instruções para sua mulher, Vera, ele pedia para o romance não ser publicado. Ela não teve coragem de destruir o livro que a morte do grande escritor russo interrompeu. Não destruiu e não publicou. Depois da morte de Vera, a decisão passou para o filho, Dimitri, que somente este ano resolveu publicar.
Como Nabokov foi um gênio, decerto valerá a pena a leitura do texto inacabado. Simplesmente porque o estilo estará presente, a inteligência "borbulhando" nas páginas estará presente; enfim, a genialidade estará presente.

6 comentários:

Janaina Amado disse...

Gerana querida, mais isso em comum nós temos - sou doida por Nabokov. Depois me diga se vale a pena o livro recém publicado. Beijos, daqui do futuro.

claudio rodrigues disse...

Que legal, Gerana. Adoro Nabokov, O inicio de Lolita é uma das coisas mais geniais na literatura. Lo-li-ta. Ele consegue fazer a gente perceber a ponta da língua tocando os dentes e descendo, sensualidade pura. mais um que vai pra minha lista. E vc, uma generosidade em pessoa, por tudo. Beijos e obrigado, grato, gratissimo.

Nydia Bonetti disse...

Não dá mais para ir dormir sem passar por aqui, Gerana. Teu blog vicia. :)

Beijos.

Ana Tapadas disse...

Não li muito do autor, mas guardo boa de A verdadeira vida de Sebastião Knight. É hora de voltar a ler algo mais!
Sobre os blogues estamos de acordo. E pensar que no princípio eu ouvia falar de blogues e até fazia juízos errados (associava a crítica política baixa e coisas dessas...).
Beijinhos

Valéria Martins disse...

Oi, Gerana! Obrigada pela visita à Pausa do Tempo e pelo comentário.

Quanto ao Nabokov, já li que, infelizmente, o livro não é bom. Que tem muitas semelhanças com "Lolita" - esse, sim, um dos maiores e mais tristes livros que já li - e que não chega a ser um livro, é um espantalho. Mas quem sabe alguns fãs irão gostar.

Beijos e abraços

Nílson disse...

Engraçado, essa semana mesmo tava pensando que talvez Lolita seja o melhor livro que li. Aquele que deu exatamente a sensação de que o cara é um gênio! Tb adorei Fogo Pálido, aliás gostei tb de mais um ou dois que já li. E tenho Pnin aqui em casa, tava colocando, por coincidência, na lista de leituras. Grande Nabokov!