terça-feira, 14 de julho de 2009

O CONTO NA BAHIA

Gerana Damulakis


Para acompanhar o conto na sua evolução cronológica percebe-se que ao fim e ao cabo o que resulta é uma listagem dos contistas dentro do século XX. Isto traz um risco que seria o abandono do liame histórico, mas as poucas histórias da literatura baiana, inclusive a afamada História da Literatura Baiana, de Pedro Calmon, deixam claro que até o século 19 a poesia predominou absoluta.
Eventualmente se publicavam contos em revistas literárias, porém, a primeira grande expressão da prosa de ficção baiana, com romances e livros de contos editados, foi Xavier Marques. Nascido no ano de 1861, morreu em 1942, tendo uma vida literária ativa dentro dos novecentos e, de resto, toda realizada na Bahia, mas alcançando importância nacional. Xavier Marques foi eleito membro da Academia Brasileira de Letras, tornou-se popular e conheceu a glória pelo valor exclusivo de sua obra. Autor de romances e novelas, entre elas a famosa Jana e Joel (1899), por ele próprio denominada de "idílio piscatório", reuniu seus contos nos volumes: Simples Histórias (1886), seu livro de estréia na prosa, A Cidade Encantada (1919) e Terras Mortas (1936).
Para Eugênio Gomes, "sobre Xavier Marques pesa a indeclinável responsabilidade de haver produzido A Arte de Escrever, a única teoria do estilo elaborada, em nossa língua, por quem deu, em suas obras, o exemplo pessoal de escrever à perfeição" (Gomes, Eugênio: "Os setenta anos de Jana e Joel", à guisa de prefácio de Praieiros. Salvador: GRD, 1969).
A sua ficção revela, sobretudo um fixador de tipos e de paisagens, onde predominam o mar e os saveiros da Bahia. Não há como deixar de fazer tal registro aqui.


Foto: "Saveiros", por Bira Freitas, retirada do Flickr.

12 comentários:

maria guimarães sampaio disse...

Ou Gerana... você que sabe das literárias histórias baianas, é chegada a epigramas? Eu tinha tanta vontade de ler assim uma porção de epigramas! Só sei uns dois ou três, de ouvido (meu pai contava)

Gerana disse...

Maria: nosso amigo Ildásio Tavares é mestre nos epigramas. Fez um ótimo para mim. Vou pedir para ele me enviar os últimos 44 que ele fez, sempre com gente aqui da nossa terra.

Pedro disse...

Grande Xavier Marques que começou tudo.

Lidi disse...

Estou pensando em pesquisar a obra de um contista baiano na minha monografia da pós, mas ainda não decidi qual. Gostei do teu texto.

P.S: Obrigada pelo comentário em meu blogue. Um beijo.

Lidi disse...

Oi, Gerana, obrigada pela dica. Vou procurar Aleilton. Se eu não conseguir o livro com ele, te solicito o envio, certo? Obrigada, de novo.

Renata Belmonte disse...

Gerana,
Eu gosto da Lygia, obrigada pelas indicações.
Acho muito bacana você falar sobre a nossa literatura. Muito mesmo.
Outra coisa: vc conhece a obra da escritora que falou mal do Chico? Tem alguma indicação? Adoro o Philip Roth e vi que ele gosta muito do trabalho dela. Acabei me interessando.
Bjs!
Bjs

Gerana Damulakis disse...

Renata: conheço Edna O'Brien, li Dezembros Selvagens em 2004, acho. Não li o mais recente romance dela no Brasil, A luz da noite. Aleilton e Rosana conheceram a escritora lá em Paraty, na semana da Flip.
Já Philip Roth, é minha paixão, devorei Indignação (o mais recente) em três horas. Li tudo dele que há no Brasil. Ele adora Edna e têm um livro juntos, já li sobre isso.

Lidi disse...

Oi, Gerana, obrigada. Qual teu e-mail? Um grande beijo!

maria guimarães sampaio disse...

Vixe, Gerana... todo mundo te solicitando. Grata pelo seu-Ildázio lá no Continhos. Adoraria ler outros de Ildázio. Os poucos que sei são de lá dos anos 30(?). Um de Castelar Sampaio (não sei se a cópia está correta, só sei de ouvido):
A Sé na Misericórdia
não cabe, é justo
mas cabe, não há discórdia
no bolso de Dom Augusto

Renata Belmonte disse...

Não tenho Indignação, vou comprar. Aproveitarei para conhecer também a literatura da Sra. Edna O'Brien. Estou de férias, será bem bacana fazer estas leituras.
Bjs

Eliana Mara Chiossi disse...

Gerana,

acho incrível este trabalho, quase diário, que você faz, com relação a literatura baiana. E te parabenizo muito por isso.
Vou indicar para os alunos em Letras porque é um material incrível e mostra o maior respeito pelo que se escreve nestas terras.

Beijos e bom dia!

Flamarion Silva disse...

Eliana Mara diz muito bem: seu trabalho no blog e fora dele, divulgando a literatura que se faz na Bahia, é incrível. Eu que o diga! Mas fiquei meio desnorteado quando soube que seu blog ia morrer (digo assim para que sinta o que ele representa para todos nós).Sei que a tarefa é árdua, mas sei também que é prazerosa.
Abraços.