segunda-feira, 13 de julho de 2009

HELENA

Fred Matos


poderiam ser motivo destes versos
os tenros mamilos de uma deusa pagã
se eu soubesse algo acerca de divindades
e se os mamilos me fossem oferecidos
sem os desígnios ocultos que os deuses
e as mulheres têm quando nos mimam

mas a volúpia exige sangue e lágrimas e eu
já não me disponho a doar sequer suor
palavras, sorrisos, coisa alguma que seja
em troca de algo cujo preço nunca é justo

prefiro ir ao cinema assistir Sienna Guillory
que é tal qual eu imaginava a bela Helena
desde a primeira vez que li e a vi na Ilíada

mas nem por ela uma guerra vale a pena


Fred Matos é autor de Melhor que a encomenda (Secrataria da Cultura e Turismo, FUNCEB, EGBA, Coleção Selo Letras da Bahia, 2006) entre outros.
Foto: Sienna Guillory

6 comentários:

Anabela Lopes disse...

Gostei bastante do poema! Embora a poesia não seja a minha "especialidade", gostei bastante. Penso que é o que se chama prosa poética, certo?
Bj!

pereira disse...

Fred, com este poema, fica inserido na gama de poetas que não resistem ao tema da bela Helena de Tróia.

gláucia lemos disse...

Gostei do poema, Fred. Mas parece que sua visualização da lendária beleza da princesa espartana foi encarnada em personagem nada mediterrânea. Assim, a bela inspiradora da guerra noticida pela Ilíada, perdeu pontos para a outra, e deixou de valer uma guerra.
Ainda bem que não se fazem mais guerras por beldades que nem Helena. E infelizmente não se escrevem mais Ilíadas. Será que Zeus ainda vira cisne?

Pedro disse...

Sienna é linda, mias ianda quando está com cabelos escuros.

Fred Matos disse...

Agradeço a Anabela, Pereira, Gláucia e Pedro pela gentileza dos comentários, bem como a Gerana por, mais uma vez, divulgar texto meu.

Pedro disse...

"nem por ela uma guerra vale a pena", gostei extremamente.