quarta-feira, 24 de setembro de 2008

UM POEMA SEM QUE SE SAIBA


Nilson Pedro



Sorrindo como sorriem os homens
quando são apenas
o que são, apenas
homens. Quando olham para
as estrelas e nelas vêem
estrelas, e nelas vêem
brilhantes, e nada além
ou aquém: e nelas intuem a
noite sem que se saiba da
noite que sonho vão.
Sorrindo como quem sabe
que não.


Nilson Pedro assina o blog Blag, entrada pelos meus favoritos. Foto "Sorriso" por Alda Cravo Al-Saude, retirada do Flickr.

5 comentários:

gláucia lemos disse...

Como se dizendo pouco diz-se muito. Gostei bastante.

fred disse...

Gostei, também.

pereira disse...

Muito bons ritmo r tomada inteligente durante o andamento.

Nilson disse...

Fico grato por esse reconhecimento, Gerana. Do Leitora e dos seus leitores. Brigado, mesmo!

tita coelho disse...

ótima forma de escrever. Gosto de ler poesias que parecem brincar com as palavras.