quarta-feira, 24 de setembro de 2008

SEMPRE MAIS

Gerana Damulakis

Finalizada a lista, títulos e títulos me ocorrem. O prazer não foi suficiente para lembrá-los? Não é esta a questão. É evidente que, do meio para o fim da lista, ou até antes da metade, a memória dos mais recentes romances foi poderosa e lançou o título. Seguem algumas faltas:

Orlando ou Mrs. Dalloway, de Virginia Woolf (fico com ambos)

O homem sem qualidades, de Robert Musil

Pedro Páramo, de Juan Rulfo

Mulheres apaixonadas, de D. H. Lawrence

Persuasão, de Jane Austen

Na verdade, há autores que têm muitos títulos no mesmo patamar de excelência. É o caso de Jane Austen. Lembro que, na lista dos 100, coloquei Emma, mas tanto Razão e sensibilidade, quanto Orgulho e preconceito, ou o título supracitado, todos foram romances grandiosos. Isto costuma ocorrer comigo: esgoto o autor e, depois, fica difícil escolher apenas um romance. Dá para imaginar, então, a lista enorme só contendo os títulos de Ernest Hemingway, Scott Fitzgerald, Marguerite Duras, George Eliot, Henry James, Kawabata, Murakami... E a lista com os romances de José Saramago, admiração maior!

2 comentários:

gláucia lemos disse...

Olhe aí, Gerana, tnho Razão e Preconceito e Orgulho e Sensibilidade de Jane Austen (MInha neta Samira adora os livros dela) que estão na sua lista, mas tenho procurado Persuasão inutilmente. Ainda vou encontrá-lo. Os dois acima, estão na sua lista merecidamente, como muitos outros aliás. Também gosto de erseguir o autor que me agrada.

Gerana Damulakis disse...

Gláucia: meu exemplar de Persuasão é bem antigo, dos Clássicos Francisco Alves. Vi na Livraria Saraiva em edição nova, não lembro por qual editora.