segunda-feira, 8 de setembro de 2008

50 TÍTULOS INESQUECÍVEIS


Gerana Damulakis


DA LISTA

41- O complexo de Portnoy, de Philip Roth

42- A casa das belas adormecidas, de Yasunari Kawabata

43- O engenheiro de almas, de Josef Skvorecky

44- As vinhas da ira, de John Steinbeck

45- A paixão segundo G. H., de Clarice Lispector

46- O anjo azul, de Heinrich Mann

47- Os cadernos de Malte Laurids Brigge, de Rainer Maria Rilke

48- A narrativa de A. Gordon Pym, de Edgar Allan Poe

49- O passado, de Alan Pauls

50- Narrativa pioneira da Perestroika em 2 volumes: Os filhos da Rua Arbat, 35 e outros anos, de Anatoli Ribakov


TRECHOS DE A paixão segundo G. H., de Clarice Lispector (foto).


Toda compreensão súbita é finalmente a revelação de uma aguda incompreensão. Todo momento de achar é um perder-se a si próprio. Talvez me tenha acontecido uma compreensão tão total quanto uma ignorância, e dela eu venha a sair intocada e inocente como antes. Qualquer entender meu nunca estará à altura dessa compreensão, pois viver é somente a altura a que posso chegar - meu único nível é viver.

Não tenho uma palavra a dizer. Por que não me calo, então? Mas se eu não forçar a palavra a mudez me engolfará para sempre em ondas. A palavra e a forma serão a tábua onde boiarei sobre vagalhões de mudez.

6 comentários:

Carlos Vilarinho disse...

Clarice, Poe e Rainer são destaques realmente, legais mesmo...

tita coelho disse...

Hummm adoro Poe Gerana :)
beijos

gláucia lemos disse...

Eterna Clarice. Por mais lida e relida, sempre há mais a ser lido nos mesmos textos.

fred disse...

Metade da empreitada cumprida, entre tantos, muitos que eu também relacionaria, alguns poucos que não e uma boa parte que sequer li, mas de ausências não posso ainda falar, pois há ainda cinqüenta por vir.
Beijos

Renata Belmonte disse...

Que lista! A paixão segundo GH é uma das mais inesquecíveis experiências que tive na vida.

Goulart Gomes disse...

Desses, só li Poe e Clarice. De Steinbeck, eu não passo nem na porta.