sexta-feira, 21 de maio de 2010

UM POETA QUE SE FOI

Morreu hoje o poeta Damário Dacruz (27/07/1953 - 21/05/2010).

GRAN FINALE
-----------Damário Dacruz

Avise aos amigos
que preparo o último verso.

A vida
dura menos que um poema
e no alvorecer mais próximo
saio de cena.

E, para lembrar seus achados e seu humor:

A lua
nasceu hoje
da mesma forma.

E você
fica exigindo
que eu seja diferente
todas as noites.

Damário Dacruz

10 comentários:

Ana Liese disse...

Hoje Damário nasceu em nova forma, no coração de Deus. E a lua continuou a mesma.

Flamarion Silva disse...

Grande Damário. Vai, mas fica.

Marcus Vinícius Rodrigues disse...

Uma grande perda. Para mim, sempre será o poeta de Todo o risco, que eu li tantas vezes.

Todo risco
(Damário da Cruz)

A possibilidade de arriscar
É que nos faz homens
Vôo perfeito
no espaço que criamos
Ninguém decide
sobre os passos que evitamos
Certeza
de que não somos pássaros
e que voamos
Tristeza
de que não vamos
por medo dos caminhos

João Renato disse...

Gerana,
Só o conhecia de ouvir falar.
Fui pesquisar na rede e encontrei seu último poema, distribuído pela família:

Gran Finale

"Avise aos amigos
que preparo o último verso
A vida
dura menos que um poema
e no alvorecer mais próximo
saio de cena."

56 anos é muito pouco para sair de cena.
JR.

Lisarda disse...

Cuando alguien pasa por la vida dando fruto, el dolor es mayor en su partida.
Qué serenidad para escribir su último poema!
Avise aos amigos/ que preparo o último verso...

Por que você faz poema? disse...

Todo Risco me acompanha há muito tempo. Triste o Recôncavo.

Assis Freitas disse...

Grande perda de homem e poeta. A poesia está mais triste. Abraço

José Carlos Brandão disse...

"preparo o último verso" - premonição? Ou porque sabemos que "a vida dura menos que um poema?" Em todo caso, foi cedo. Seu último voo - ou o começo do voo. Fique com Deus, Damário.

glaucia lemos disse...

Foi meu amigo, durante um tempo em que trabalhou na Fundação Cultural, depois nos perdemos, mas quando nos encontrávamos sempre falava com carinho: Glaucinha!
Dele lembro uns versos comoventes:
"Hoje á noite voltarei tarde para casa
tentarei não tropeçar
na sua ausência "

Fernando Campanella disse...

Bela homenagem, Gerana, eu não conhecia o poeta, mas gostei muito dos poemas que li por aqui. Fazemos poemas enquanto a vida sonha e agita, o resto é a poesia que nos resgata do silêncio.
Grande abraço.