terça-feira, 18 de maio de 2010

KÁTIA BORGES: UM INGRESSO PARA UMA VIAGEM POÉTICA

GD

O lançamento do 3º livro de poemas de Kátia Borges, Ticket Zen (Escrituras, 2010), foi uma festa e tanto. Acontecimentos: conversas literárias interessantes (atualmente, o poeta Luís Antonio Cajazeira Ramos e eu só fazemos elogiar os contos de Marcus Vinícius Rodrigues, de tão encantados que estamos - o elogiado, ouvindo tudo); saudades de outros tempos foram levantadas, dos tempos das colunas do jornal A Tarde, no Caderno 2, graças ao encontro com a editora Suzana Varjão, muito querida por todos; a poeta Myriam Fraga revelou que é uma contadora de casos e a conclusão é a de que ela deve escrever suas memórias; a presença do pessoal da blogosfera, o poeta Nilson Galvão e Marcus Gusmão, e a presença de mais escritores: Aramis Ribeiro Costa, Gláucia Lemos, Lima Trindade, Lago Júnior, Aleilton Fonseca e Rosana Patrício, Adelice Souza e muitos outros que foram chegando.
Da primeira leitura (este Ticket Zen está mais próximo do volume De volta à caixa de abelhas), retiro um poema que retrata bastante bem os comentários de Cajazeira Ramos nas "orelhas", quando diz: "O livro sugere um diário, no qual a poeta registra em versos as experiências de fato e de sonho, fragmentos de lembranças e planos, momentos de angústia ou calma, o que a inquieta ou conforta, suas saudades e desejos, as frustrações, o amor".

COMO CHUVA FORTE
-----------------Kátia Borges
----------------------------------Quisera desabar sobre ti.
------------------------------------------Olga Savary

Nada guardei de meu, nesta viagem,
companheira, nada
que possa recordar de bom
e de feliz tudo o que vivemos.
O que me vem de nós é turbilhão
de horas mansas, de afundarmos juntos, de
--------------------------------[corrermos
sem segurança em meio aos trovões.

O temporal do amor, a chuva forte,
deixou minha alma encharcada.
Ao pensar no que passou, pesam-me as pernas.

Hoje, dispenso todos os remédios
e lanço ao inferno os chás e os unguentos.
Rezo ao delírio, busco a febre insana, me entrego.

Foto: Kátia Borges. KB é jornalista, mestranda em Literatura e Cultura pela Ufba, integrante do quadro editorial do jornal A Tarde.

28 comentários:

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Intenso! :)

glaucia lemos disse...

Eu estava lá, no encontro que todos nós que nos identificamos pelo mesmo interesse, ficamos felizes. O poema escolhido é um dos momentos grandiosos do livro, embora também haja outros. É bom vermos os amigos crescendo. Que Deus multiplique o sucesso de Kátia Borges, a dona dessa noite.

Lisarda disse...

Sentida, saudável, salvífica poesía.
Gerana, envíale a Katia minha admiración e alegría por seu labor e seu merecido suceso.

José Carlos Brandão disse...

Gostei. Gostei como gosto da chuva, como gosto da memória do grito do meu pai quando se anunciava a chuva.
É de ficar com a alma encharcada.
Beijos.

Tânia regina Contreiras disse...

E viva a poesia, ontem, hoje e sempre!!!

Abraços,
Tania

Assis Freitas disse...

Embarquemos nessa viagem poética. Parabéns a Kátia pelo livro e sua repercussão. Abraço

Carlos Barbosa disse...

Não deu pra ir, mas comprei meu exemplar na LDM duas semanas atrás. Gostei de tudo no livro. (carlos barbosa)

Carlos Barbosa disse...

Não deu pra ir, mas comprei meu exemplar na LDM duas semanas atrás. Gostei de tudo no livro. (carlos barbosa)

Por que você faz poema? disse...

Comecei a noite no lançamento e terminei a madrugada com o livro nas mãos.

Hana disse...

Show, tudo aki é fantastico querida, aki fico aki te sigo aki te leio e venho sempre que der um tempinho, poxa parabéns, e meu muito obrigada pelos ensinamentos, daki levo o carinho.
com carino
Hana

Beta disse...

Olá!!!
To chegando para informar que o Mix agora é .com!!!
Todo o conteúdo do Mix para você, com mais comodidade e profissionalismo!!!

Mude seu link ok?
www.mixculturainformacaoearte.com

Juan Moravagine Carneiro disse...

Confesso que não conhecia Kátia Borges...entre outros este é um dos motivos que me fazem sempre retornar ao seu espaço...


...Postagens sempre de qualidade nos abrindo novas portas em direção ao novo e ao belo...

agradecido pelas visitas ao Rembrandt

abraço

Kátia Borges disse...

Oi, Gerana, obrigada. Pela presença e pela lembrança aqui. Um grande beijo

Anônimo disse...

Juan Moravagine Carneiro deixou um novo comentário sobre a sua postagem "KÁTIA BORGES: UM INGRESSO PARA UMA VIAGEM POÉTICA":

Confesso que não conhecia Kátia Borges...entre outros este é um dos motivos que me fazem sempre retornar ao seu espaço...


...Postagens sempre de qualidade nos abrindo novas portas em direção ao novo e ao belo...

agradecido pelas visitas ao Rembrandt

abraço

claudio rodrigues disse...

Bom estar entre amigos, comungando dos mesmos sentidos, e a Poesia abraçando todos. Sinto falta disso.

BAR DO BARDO disse...

Se recomendas, emendo!

Bom poema!

dade amorim disse...

Sabe, Gerana, às vezes me dá vontade de fechara a casa aqui e mudar pra Salvador de mala e cuia. Nem a vida cultural de S. Paulo nem a daqui do Rio (cidade que eu amo com certo exagero) me parecem tão cheias de vida como o que acontece aí. Acrescendo que Salvador tem alguma coisa de Rio, não sei se por causa do mar tão presente, ou se por causa desses baianos incríveis que conheci.
Delícia o poema da Kátia.

Beijo pra você.

Ana Tapadas disse...

Que belo poema. Parabéns à Kátia.
Obrigada pela «reportagem» - fui lá na minha imaginação.
beijinhos

Chorik disse...

Eita turma agitada essa da Bahia. Viva Kátia Borges, a poeta mais rock'n roll que coonheço.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Gearana, que alegria a gente se reconhecer em outro ser humano. E pra citar com minhas palavras a pessoa do Pessoa...cansei de príncipes, que nunca levaram porrada.

Vi tudo, vc gosta de um encontro assim, com gente bacan, falando do que vc mais gosta neste mundo: letras.......

Rayuela disse...

es un placer conocer a una escritora como Kátia!
siempre es maravilloso pasar por tu casa, Gerana!

(y con respecto a tu comentario en mi Zigurat, sería un honor verme traducida por vos)

mil besos*
Silvia

Adriana Karnal disse...

fiquei louca pelo livro...assim fresquinho, tudo de bom!

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

não conheço a poeta em questão, mas vou procurar...
ainda não encontrei a rua que vc falou

aeronauta disse...

Livro grandioso, maduro, imprescindível na estante dos que amam poesia. Sucesso, Kátia!

Fernando Campanella disse...

Confessional, arrebatador , o poema de Kátia.

Flamarion Silva disse...

Queria muito ter ido, mas não deu. Vou pegar o livro, depois pego o autógrafo.
Beijo e sucesso.

Marcus Vinícius Rodrigues disse...

Pena eu não ter podido ficar mais tempo no lançamento, mas levei para casa o belo livro de Kátia (por dentro e por fora, assim como ela) e os afetos dos amigos queridos. Com essas duas coisas ninguém nunca está só.

Nilson disse...

Li quase todo esse fim de semana e fiquei impressionado: forte e segura poesia, e ao mesmo tempo tão delicada como não poderia ser diferente, em se tratando de Kátia e de seus poemas. Um acontecimento na poesia, esse Ticket Zen! (e a bela foto de capa de Maria Sampaio!!!)