sábado, 6 de março de 2010

UMA LEITURA RÁPIDA


Gerana Damulakis

Estou lendo O túnel (Companhia das Letras, 2000), do escritor argentino Ernesto Sabato. Estou lendo praticamente de uma sentada: capítulos curtos, linguagem que flui, história bem amarrada e instigante. E mais: certas reflexões sobre o ser humano e a sua existência em achados interessantes, colocados devidamente, sem mais, sem exageros.

É curioso, mas viver consiste em construir futuras lembranças...
Ernesto Sabato

11 comentários:

Edu O. disse...

Estou escrevendo um novo projeto para coreografia inédita e esta frase cai perfeitamente com o que estou querendo falar.

Obrigado pelo azul das palavras carinhosas e gentis. Beijos

Nunca mais fui a Saraiva, tenho sentido falta.

Assis Freitas disse...

Futuras lembranças é realmente um achado. Vc anda sempre em boas companhias, Sabato é genial. Bom domingo.

P.s.a tua observação lá no mileumpoemas é instigante. Vc pensou na melodia, na fluência. Eu imaginei o poema com essa melodia e um corte abrupto, o verso final serviria como uma nota dissonante em meio a sinfonia. Mas o bom é que me deste de presente outro arremate. Obrigado. É por isso que eu gosto da interatividade dos blogs. Os comentários me fazem perceber outras nuances nos poemas, adormecidas para este pobre criador. Abraço.

BAR DO BARDO disse...

Boa leitura, pois!

BAR DO BARDO disse...

Torno que retorna...

Bípede Falante disse...

Li há alguns anos. No ano passado, emprestei para o estimado marido ler durante uma viagem a Bs.As. Também gostei do fluxo, da aceleração de cidade e não de estrada.

Chorik disse...

Boa essa frase. Por isso a necessidade de fazer o bem. Só assim teremos boas lembranças.

Tem lá no meu blogue uma série dedicada a você sobre o parque ecológico. Preciso catalogar outras informações e bater outras fotos. Espero que goste.

maria guimarães sampaio disse...

Não sei se a memória anda me traindo, mas na foto... ele está todo Robatto (o Alexandre pai de Silvio).

dade amorim disse...

Por esse prisma, é verdade - futuras memórias. Mas há uma perspectiva - talvez mais jovem - de ver o presente. Amo Sabato.

glaucia lemos disse...

Sabato sabe das coisas. De fato vivemos construindo as lembranças que evocaremos no futuro.

Lisarda disse...

Uma anti-romance policial,né?. Sabemos, desde o início, quem é o assasino, mas não sabemos a causa do crime.
"construir futuras lembranças"...¿para um museu de grandes novidades?

Ana Cecília disse...

Gosto muito de Sábato.
Que bom que você nos faz tê-lo (e a tantas outras referências maravilhosas) presente.
Abraço!