quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

UMA BELA CANÇÃO

Gerana Damulakis

Lembro bastante da sensação causada pela leitura do poema "Uma faca só lâmina ou Serventia das idéias fixas", de João Cabral de Melo Neto: um atordoamento, questões sobre a poesia (ela é isso, então é isso?), a estupefação diante da riqueza daquela edificação. Sim, todos sabem, o poeta era um engenheiro, construía poesia. Mas é uma simples canção que tenho vontade de ler agora.

CANÇÃO
-------João Cabral de Melo Neto

Sob meus pés nasciam águas
que eu aprendia a navegar,
onde um perfil eu via
ao céu se abandonar,
e um grito de criança
imóvel no luar.

Sob meus pés nasciam águas
onde um navio ia boiar,
onde mãos de máquina
me saíam a procurar,
deitado numa rua,
perdido num lugar.

in Pedra do Sono

Foto: estátua de João Cabral de Melo Neto (1920-1999), confeccionada pelo artista plástico Demétrio Albuquerque.
O Circuito da Poesia, em Recife, Pernambuco, é constituído pelas estátuas de:
João Cabral de Melo Neto, na Rua da Aurora (foto acima); Manuel Bandeira, também na Aurora; Clarice Lispector, Praça Maciel Pinheiro; Mauro Mota, na Praça do Sebo; Chico Science, no memorial do artista (Rua da Moeda); Solano Trindade, no Pátio de São Pedro; Ascenso Ferreira, no Cais da Alfândega; e Luiz Gonzaga, na Estação Central do Metrô.

10 comentários:

Jefferson Bessa disse...

Adorei a seleção do poema, Gerana! Pouco lemos esse primeiro (e mais espontâneo) João Cabral - Pedra do sono é o primeiro livro de poema de Cabral. Percebemos assim as primeiras vozes do poeta que chegará, por exemplo, ao rigor de Uma faca só lâmina. Fantástico. Amei a postagem, amei a canção! Bjs.

Jefferson

Lisarda disse...

Uma estátua anti solemne para uma poesia viva

Assis Freitas disse...

Realmente, uma bela canção. E o João Cabral dizia que os seus poemas não tinham musicalidade. Vá entender a gênese dos poetas, rs, rs. Abraço.

João Renato disse...

Ola,Gerana,
Eu já conhecia outros poemas de João Cabral, mas "O Ovo" foi a minha porta de entrada na sua poesia. E acho interessante esse subtítulo "Serventia das Idéias Fixas", porque ele teve outras "idéias fixas".

Nesse Circuito da Poesia no Recife, eu acrescentaria uma estátua de Carlos Pena Filho.

Abraço,
JR.

BAR DO BARDO disse...

Sim!

:)

Janaina Amado disse...

Gosto deste Circuito da Poesia do Recife, cidade tão bem cantada por bons poetas, e mais ainda de João Cabral. Viajei com você, Gerana, neste texto. Ótimo.

Chorik disse...

Queria conhecer Recife. Mas nem conheço Salvador!

dade amorim disse...

De acordo com o Jefferson, Gerana: uma ótima lembrança, esse primeiro Cabral que depois irá se depurando e secando até o fio sem pássaros de A palo seco.

Ando precisando voltar a Recife, me deu saudade.

Beijo

glaucia lemos disse...

Palmas para a guia do Circuito, indo a Recife, a gente já sabe onde encontrar os grandes da poesia.

Gisele Freire disse...

Gosto muito do João Cabral Gerana, e este poema que escolheu é lindo!
bjs
Gi