quinta-feira, 3 de setembro de 2009

BERNARDO LINHARES EM DIÁLOGO COM SOSÍGENES COSTA



GD
O poema abaixo é uma homenagem do poeta Bernardo Linhares ao poema de Sosígenes Costa. Primeiramente, pensei em colocar ambos os poemas para sentirmos o diálogo; depois, achei mais interessante que cada leitor, se apreciador da obra poética de Sosígenes Costa, fosse sentindo, do seu modo, o quanto o poema de BL conversa com SC e, de resto, aplaude o poeta de Belmonte.

AZUL

Bernardo Linhares

Para Luzia e JVeloso
---------------------------------------------------------------------- O mais azul de todos os delírios
---------Sosígenes Costa


Tecendo e penetrando a nova aurora,
a lua nova agora devaneia.
Além da vela, vibra a flor da flora.
O azul cavalga o dorso da sereia.

Nascendo rosa em toda passiflora,
clareia o amarelo e o azul semeia.
Seus tons, seus entretons, fazendo a hora
o azul cavalga o dorso da sereia.

No verde, coroada por gaivotas,
a lua nova permanece acesa.
Feliz, a cor do mar dá cambalhotas

mostrando sobre as águas seu sorriso.
A vida segue a trilha da beleza
do azul que faz de tudo um paraíso.

11 comentários:

Pedro disse...

Uma beleza. Uma "conversa" com os emblemas mais caros a Sosígenes Costa.

anna disse...

Muito bom! Muito bem mesmo!!!

dade amorim disse...

Dialogam os poetas, lucram os leitores que amam a poesia.
Muito bom, Gerana.
Beijo.

Edu O. disse...

é sempre bom vir aqui e adoro receber tua visita lá no meu canto.

Gustavo Felicíssimo disse...

A bem da verdade, boa parte da obra do Bernardo dialóga com temas recorrentes em Sosígenes: cromatismo e marinha. Também, residindo em pleno Porto da Barra e visitando Itaparica frequentemente! Mas BL é devedor apenas em parte a SC, pois consegue imprimir à sua poesia uma dimensão e visão das coisas independente do verso do poeta belmontino.

glaucia lemos disse...

Bernardo Linhares deixa mesmo entrever neste soneto o grande Sosígenes Costa - o poeta da palheta mais colorida do mundo- apesar da personalidade de Sosígenes ser única e inconfundível. Ou talvez por isso. NO entanto, por outros bons poemas de Bernardo,que sempre gentilmente me encaminha, não me parece que venha a ser um epígono do belmontense. Ou estou enganada?

Gustavo Felicíssimo disse...

Caríssima Gláucia, vc não está errada, não. O fato de BL transitar por tais temas e de ser admirador da obra de Sosígenes não significa que ele seja o epígono de SC. Para isto basta ver seus poemas de amor, os eróticos e tb seus poemas críticos. Eviareie à Gerana um texto meu, editado, sobre Sosígenes. Se eu conseguir enxugá-lo bem, quem sabe ela o publique por aqui.

Gerana disse...

Claro que BL não é um epígono de Sosígenes, tanto que o diálogo com o poema do poeta de Belmonte deixa evidente que se trata de uma homenagem.

maria guimarães sampaio disse...

Fui criada ouvindo o povo lá de casa a falar de Sosígenes - o poeta da terra de minha mãe. E nunca li Sosígenes. Sempre meu pai se irritava ao lembrar que levaram o livro dele. Quando meu pai morreu ainda tive esperança de encontrar Sosígenes nas arrumações. Nada.

Gregorio Gomes disse...

Bernardo Linhares é um poeta da mais alta pureza dos versos, O poeta Romeno, Dinu Flamand em passagem por Itaparica conheceu Bernardo Linhares e não popou elogios aos seus poemas, ficou fascinado com os poetas da praça da quitanda com quem por varias noites curtiu os versos declamados por Bernardo onde se reunião os amigos do bar do Capitão.

Gregorio Gomes disse...

Bernardo Linhares é um poeta magnifico que transcede a pureza dos versos. O poeta Romeno Dinu Flamand em passagem por itaparica, ao conhecer BL não popou comentarios e elogios aos poemas de BL nas noites em que se reuniu em Itaparica com os Poetas da praça da Quitanda e os amigos do bar do Capitão. Parabens! Bernardo Linhares. Itaparica em 18/11/2009