sábado, 8 de agosto de 2009

NOME DE MULHER

Gerana Damulakis


Qual a importância do nome da personagem? O nome que o autor escolheu para sua personagem, ainda mais se ele for o título do conto ou do romance, vai causar uma caracterização precipitada?

Lembro da exclamação, já tão repetida, de Flaubert: "Madame Bovary, c'est moi!". Então, um tanto do autor está nas suas personagens e o batismo de uma mulher, personagem ficcional, vem trazendo sinais do criador. Quando não se pensa assim, pensa-se que aquele nome de mulher foi escolhido porque combina com a "heroína" do conto ou romance. Veja se consegue imaginar outro nome para ela: uma russa da sociedade, casada, que se apaixona desesperadamente por um conde canalha e que acaba se atirando debaixo de um trem... seu nome, Anna Kariênina. E Rebecca, a inesquecível? E Lolita, de Nabokov, poderia ter outro nome?
O assunto é fascinante e será motivo de uma antologia de contos. Todos os contos trazem no título - e por isso assim se intitulará a antologia - um NOME DE MULHER.

7 comentários:

Eliana Mara Chiossi disse...

Querida,

mais uma vez uma iniciativa forte!
Aos poucos, estou retomando o ritmo.
Tenho tempo para chá das cinco ou café da tarde.
Bastante sol pra você neste final de semana.

Beijocas

Flamarion Silva disse...

Em relação à "Madame Bovary", Flaubert tinha um processo lhe atormentando, pode ter sido uma saída, mas acredito que essas personagens femininas fortes têm muito do seu criador.Infelizmente nada sei a esse respeito...
Abraço.

Flamarion Silva disse...

Almodovar, no seu livro Pathy Difusa, escreveu alguma coisa sobre Scarlett O'Hara ser o seu criador. Acho que foi isso.

Carlos Barbosa disse...

Oi, Gerana. Em "Maldições de minha primeira obra", Kawabata ensaia bem a gravidade de se nomear personagens. Confesso que é um dos momentos mais complicados da escrita. Sucesso na empreitada. Abr. (carlos)

glaucia lemos disse...

Antes de tudo, parabéns pela notícia de antologia de nomes femininos, grande ideia!
Em relação à afirmativa de Carlos Barbosa, sobre dificuldade na escolha de nome de personagens, acho que varia entre escritores. Meus personagens surgem com nomes, e eu respeito. Às vezes nomes que eu não escolheria para um filho (a) mas respeito. Meu problema é a escolha do título. Esse me dá trabalho sempre.

Maria Muadiê disse...

Grande idéia, muito bacana!

*

Gerana, sou ariana com ascendente em áries, em algum lugar de mim deve morar uma aquariana.
Lembro de uma poesia de Gunter Grass:"Eu me repito a contragosto/eu me repito a contragosto..."
Achei interessante a sua leitura, pois para mim, me repeti a contragosto por falta de cuidado comigo mesma.
Um beijo

Cecília disse...

Olá, Gerana. Tudo bem? Sou a Cecília, da Edelman, agência de comunicação da Jorge Zahar Editor. Sempre descobrimos e lemos blogs relacionados à leitura e a temas do universo Zahar. Muito bacana a sua iniciativa.
na sua lista, acredito que podemos incluir a Mrs. Dalloway, personagem que deu nome ao romance de Virginia Woolf, publicado em 1925 e um dos grandes nomes femininos da literatura mundial.
Um abraço