domingo, 19 de outubro de 2008

ERSATZ

Manuel Anastácio









Em vez do ramo de flores
Que não te ofereço
Porque uma flor cortada
É um membro da terra decepado,
Ofereço-te um ramo de dores ardentes
Em amarelo iluminado.
São já tuas as flores
Em mim nascentes,
Porque em mim nada floresce
Que a ti não deva as sementes.


Manuel Anastácio é poeta, assina o blog Da Condição Humana (http://literaturas.blogs.sapo.pt/ ,ou use a entrada pelos meus favoritos).
Foto de marciookabe, flores numa Praça em Salvador, Bahia, retirada do Flickr.

4 comentários:

pereira disse...

Que versos sonoros e plenos de significados. Não entendi o título, que língua é esta? Não é latim, porque fiz latim e reconheço alguma coisa, tipo aquele último poema deste mesmo poeta, ali o título era latim.

Manuel Anastácio disse...

Olá, Pereira: Ersatz é alemão: significa sucedâneo - substituto, algo que, nas palavras da Gerana, parece que é, mas não é.

No poema anterior, fui buscar uma palavra mais ambígua, de facto, em latim: aestus pode ser "fogo impetuoso" mas, também "maré".

Abraço e obrigado pelas palavras sempre simpáticas... Ainda que me soe estranhe o chamares-me de "poeta", é como se eu fosse um ersatz de baixa qualidade daquilo que me apelidam.

Abraço grande.

anna disse...

Daqui a pouco vou levantar os ciúmes de Luis Antonio Cajazeira Ramos - vaidoso-, que está com um lindo soneto no blog Madame K, mas vou dizer, Gerana, que adoro os poemas do Manuel. Por que ele não entra pro grupo?

Gerana Damulakis disse...

Porque há um oceano separando o poeta de nós. Mas o mundo hoje é mais virtual que real e ele está escrevendo aqui no meu blog e no blog dele, que é o mais importante. Entre no blog de Manuel, você irá gostar.