quinta-feira, 7 de agosto de 2008

a invenção do amor


Fred Matos



falávamos das montanhas
da profundidade dos vales
da densidade dos metais

falávamos das diferenças
dos mares que nos separam
de barcos chegando ao cais

falávamos dos hiatos
das hipóteses plausíveis
das órbitas siderais

falávamos com tom grave
das nossas responsabilidades
plantadas em outros quintais

falávamos de um sítio
na praia ou na montanha
no sul no norte nas gerais

falávamos de um encontro
e das atitudes práticas
na construção de catedrais

falávamos as bobagens
que os amantes se dizem
desde dias ancestrais

falávamos de outonos
quando as folhas se suicidam
nos seus amarelos finais

falávamos até o instante
que o ocaso se interpôs
entre os meus e os teus ais

nos falaremos depois
acerca dos que falávamos
e dos apenas sinais

quando fizermos silêncio
será tua a decisão
do sim do mas do jamais.


Do livro inédito "nas horas e horas e meias". Fred Matos é autor de Melhor que a encomenda (FUNCEB, 2006). Foto de L!P3_RJ, retirada do Flickr.

4 comentários:

pereira disse...

um poema gostoso de ser lido pelo ritmo que imprime à leitura.

Gerana Damulakis disse...

Já não sei se prefiro sua prosa ou sua poesia.Eu que, um dia, preferi abertamente a prosa.

Anônimo disse...

Obrigado, Pereira, deixa-me contente o seu comentário.

Gerana,
Francamente, exceto por alguns poucos contos, é na poesia que consigo me expressar com mais segurança, sem esforço, naturalmente. Não sei se isso é bom ou ruim, e isso também não significa que eu considere a minha poesia acima da mediocridade, que, contudo, na minha nem sempre humilde opinião, tem raríssimas exceções na poesia contemporânea.

Beijos.

Fred

Anônimo disse...

Tópico altamente neste blog, textos assim dão vida a quem observar neste espaço !!!
Realiza mair quantidade do teu sítio, a todos os teus amigos.