quinta-feira, 31 de julho de 2008

EM FALTA COM LAGO JÚNIOR








Nem acredito que não fui ao lançamento de Ao amigo desconhecido (Fundação Pedro Calmon, Selo Letras da Bahia, 2008), de meu querido amigo Lago Júnior. Foi uma honra fazer o prefácio deste seu segundo livro de poemas, assim como fiz o do primeiro. De Dúbio Labíolo - Transparências (BDA, 1996) tirei, inclusive, um verso para levar comigo vida afora: "Se da dúvida do não, eu sempre fizer a dúvida do sim, pode ser que eu ame muito mais".

DONA VIDA E DONA MORTE

Lago Júnior

Sou um poema de sínteses.

Pêndulo equalizador.

Antítese azul.

Tese amarela.

Sou seu e dela,

das imagens que fiz de mim e de vós,

Senhoras.

Um comentário:

gláucia lemos disse...

Gerana tem razão , é uma filosofia para ser colhida e guardada. Eu fui e já li alguns poemas quando regressei, também reservei esse poema como dos melhores do livro que tem outros que também merecem menção.