sexta-feira, 27 de agosto de 2010

COM ÂNGELA


O mundo murmura a música
monumental e única

da solidão

Ângela Vilma in "A Música", do livro Poemas para Antonio (P55 Edições, 2010)

25 comentários:

Bípede Falante disse...

Que linda, G :)
E que lindo poema.
bj.

Jefferson Bessa disse...

Que beleza a vibração dessas fotografias, Gerana! Uma alegria. Gosto muito. Parabéns. Abraços. Jefferson.

CAROLINA CAETANO disse...

Eu fui ler logo agora que estou ouvindo a Valsa op.70 de Chopin. É em tom menor, o que é sempre artifício musical da expressão solitária, triste, pálida.
Os anseios de Chopin são os mais famosos para remoer as tripas e virar paredes. Mas eu só consigo a intensa alegria quando escuto! Hehe.
O texto me aprofundou ainda mais na descrição do exato instante em que leio: uma impossível alegria alcançada, amarrada cadeira ao pé!
Um abraço, Gerana!

Zélia Guardiano disse...

Belíssimo, Gerana!
Como é que se diz tanto, com tão poucas palavras?
Estou encantada...
Beijo

AC disse...

Profundo e reflexivo...

Beijo :)

Anônimo disse...

Peguei os livros de ambas ontem. Terei o fim de semana para apreciar bastante a poesia das duas.
Fátima

Bípede Falante disse...

G. Você colocaria mesmo um post meu, qualquer um deles, em forma de poesia para eu ver como fica? Mais do que isso, para eu entender como é?
Beijo.
BF
P.S. G. você não tem só beleza, tem uma energia, um impacto, um grande carisma!

aeronauta disse...

Querida Gerana, meu Anjo da Guarda!

Ana Tapadas disse...

Incrivelmente denso de sentidos!
Beijo

Caio Rudá de Oliveira disse...

Quero minhas fotos com as escritoras também, hehe. Os livros quase já os li por completo.

Um abraço, Gerana.

Rayuela disse...

somos música, a pesar de todo...


felicidades a Ângela!

besos*

Mai disse...

Sim, o mundo murmura.

Você nesta sua missão de difundir as letras, a literatura.

beijos, querida

Lidi disse...

E que bela música Ângela nos toca com sua poesia. Bjs

gláucia lemos disse...

A foto está encantadora, as duas perfeitas! O livro é o que se quer da boa poesia. Quem ainda não leu Poesias para Antônio precisa conhecê-lo com urgência, ou ficará em falta consigo próprio.Essa menina sabe o que faz!

Anônimo disse...

Duas pessoas que merecem todo o meu cuidado de amor. Bjs. Mônica Menezes

Assis Freitas disse...

parabéns a Angela e o seus Poemas para Antonio,

abraço

Tania regina Contreiras disse...

Lindo, o som do universo, eu li assim... Gerana, alguém já te falou que há algo em ti que lembra a Clarice Lispector? :-) Pois lembra, sim...A querdíssima Lispector.
Beijos, Gerana

Centelhas do outro disse...

Ah, como sou feliz por ser amigo das duas! Que mais posso querer?
Abraços.

dade amorim disse...

Tão bonito, Gerana! Queria ler mais poemas da VIlma.

Beijo!

Juan Moravagine Carneiro disse...

realente linda


esta semana estou nos Homens Hediondos

abraço e agradecido pelas visitas ao rembrandt

cduxa disse...

Gerana, que guapas se ven!
Um abraço

cduxa disse...

Gerana, que guapas se ven!
Um abraço

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

adoro, adoro quando vejo tua carinha greco-bahiana no teu blog!

Fernando Campanella disse...

Este poemeto traz toda uma filosofia, uma percepção maravilhosa em sua síntese. Adorei.

Lisarda disse...

Onde morrem as palavras, fica a música.
Belo encontro de musas.