sexta-feira, 25 de junho de 2010

AS JOIAS DE MAUPASSANT I



Gerana Damulakis

Há dois contos memoráveis de Guy de Maupassant: "As Joias", que está no livro Ao Luar, e "O Colar", em Bola de sebo.

O escritor William Somerset Maugham, em ensaio sobre o conto, no livro Pontos de vista, diz preferir o tipo de história que muitos podem escrever, mas ninguém com mais brilho que Maupassant, e ilustra o argumento analisando o conto "La Parure" (aqui traduzido como "O Adereço", ou "O Colar"). A qualidade fundamental da história, segundo Maugham, é a de poder ser contada, sempre prendendo a atenção de quem escuta.

Resumo do conto "O Colar": um amanuense e sua esposa, Matilde Loisel, são convidados para uma recepção na casa do Ministro da Instrução Pública. O marido permite que Matilde compre um vestido novo. Querendo completar o visual, Matilde pede um adereço emprestado a uma antiga colega de colégio: a senhora Forestier empresta um colar. Quando retorna da festa, Matilde constata que perdeu o colar. Numa loja, ela encontra um colar igual, só que custa quarenta mil francos. Matilde e o marido começam o martírio: conseguido um desconto na joia, conseguidos empréstimos vários, o casal compra o colar, que é devolvido à senhora Forestier. Os Loisel mudam o estilo de vida, passam a alugar quartos, não compram mais roupas, moram no sótão até que, dez anos depois, Madame Loisel encontra, por acaso, a senhora Forestier. Irreconhecível, dadas as circunstâncias da vida, Madame Loisel conta a história do colar e tudo que passou para restituí-lo. A senhora Forestier fica espantada ao saber que um colar de diamantes fora comprado para substituir o seu e diz:

"-Oh, minha pobre Matilde! O meu era de imitação. Não valeria mais de quinhentos francos!"

Amanhã, em "As joias de Maupassant II", escreverei (ou contarei) sobre o conto "As joias".

Ilustração: Renoir - Seated Bather; c. 1883- 84.

14 comentários:

Assis Freitas disse...

um dos meus contistas preferidos, Maupassant me encanta também pelas narrativas fantásticas,

abraço

Juan Moravagine Carneiro disse...

Só mesmo em seu espaço para me deparar com um post como este...

parabéns

abraço

- Luli Facciolla - disse...

Fiquei muuuuito curiosa! hehehehe

Beijo

Chorik disse...

Nossa, Gerana, a história é surpreendente, o estilo é bem direto, narrativa objetiva, sem floreios. Um tanto quanto inverossímil, contudo.
bjs

Rayuela disse...

Coincido en que son dos cuentos memorables.
El Collar es una historia sencilla, contada con la "tensión" perfecta.
Y espero por La Joyas.

besos*

gláucia lemos disse...

Guy de Maupassant é um mestre do conto. Não tenho livros dele, mas li muitos contos dele na adolescência, em livros emprestados por amigos, usávamos trocar livros com amigos por empréstimo. Sou de uma geração na qual adolescentes liam. Por isso, essa joia que é O Colar (vale o trocadilho) eu conhecia. Rever sempre é gratificante. Venham outros.

betina moraes disse...

ah! pobre casal...

interessante é constatar que realmente se trata de uma história que todos poderiam contar, mas a atmosfera é única e tal identidade produz um escritor imortal! guy de maupassant tinha o dom da observação social, segundo seus críticos e eu concordo. a boa literatura se constrói nos detalhes e ele os mantinha todos ali, mesmo na chamada narrativa econômica.

aqui há sempre lembranças que nos levam de volta ao melhor da palavra. parabéns pelas constantes postagens de grande valor cultural e literário.

um beijo, querida.

Bípede Falante disse...

Tenho a obra completa dele. Vou procurar os contos para ler.
E que lindo está o seu blog, com as estantes coloridas de livros. Gostei imensamente :)

Pena disse...

Fabulosa e Linda Amiga:
Um nome que conheço da literatura de sonho: Maupassant!
Brilhante. Admirável. Fantástico.
Um soberbo texto de "rocambolescas" atitudes na época.
Gostei muito.
Bem-Haja, pela beleza e carinho no meu blogue.
É um Ser Humano fascinante.
Com respeito, estima e consideração.
Com admiração constante pela preciosidade do seu valor pessoal e literário sublimes.
Beijinhos de pura amizade pelo seu harmonioso e notável talento.

pena

Bem-Haja, gigante amiga.
Adorei.

Zélia Guardiano disse...

Os contos de Maupassant são belíssimos! Mas confesso que há muito não os releio... Agora, com este seu providencial lembrete, vou fazê-lo.
Obrigada, Gerana.
Grande abraço

dade amorim disse...

Li um conto de Maupassant pela primeira vez aos doze anos, de tanto ouvir minha mãe elogiar o autor. Fiquei fã, é mesmo um mestre.

Beijo pra você.

Edu O. disse...

Li as duas jóias de uma vez só. Adoro a forma como você nos apresenta as estórias, os autores, atémesmo os que já conhecemos nos parecem novidade.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

É Gerana, tante coisa que achamos, que pensamos, e tudo, mas tudo mesmo é quetão de ponto de vista.

Muito bem vondo seu post pro meu atual(?) momento.

Anônimo disse...

very well information you write it very clean. I'm very lucky to get this info from you.