sábado, 5 de dezembro de 2009

O LEITOR


TRECHO
Para um leitor, esta pode ser a razão essencial, talvez a única justificativa para a literatura: que a loucura do mundo não nos tome por completo, mesmo que invada nosso porão (a imagem é de Machado de Assis) e depois, lentamente, vá tomando nossa copa, nossa sala e a casa inteira. Joseph Brodsky, prisioneiro na Sibéria, encontrou essa justificativa nos versos de W. H. Auden. Reinaldo Arenas, confinado nos cárceres de Castro, encontrou-a na Eneida; Oscar Wilde, preso em Reading, nas palavras de Cristo; Haroldo Conti, torturado pelos militares argentinos, nos romances de Dickens. Quando o mundo se torna incompreensível, quando atos de terror e respostas aterrorizantes para tal terror enchem nossos dias e nossas noites, quando nos sentimos desorientados e desconcertados, procuramos um lugar no qual a compreensão (ou a fé na compreensão) tenha sido expressa em palavras.
Alberto Manguel
in À mesa com o Chapeleiro Maluco - Ensaios sobre corvos e escrivaninhas (Companhia das Letras, 2009)
-Manguel’s personal library pictured above from the NYT h/t Alan Jacobs

14 comentários:

Flamarion Silva disse...

Oi, Gerana.
Me tire uma dúvida: Alberto Manguel não era o leitor de Borges, quando este ficou cego?
Abraço.

maria guimarães sampaio disse...

Gerana, o texto é bacana e a foto escandalosamente bela. Adoro fotos de bibliotecas.

glaucia lemos disse...

Muitíssimo sábio. Quem de nós do ambiente, conseguiria viver sem os livros salvadores?

Edu O. disse...

bela reflexão! tenho me sentido bem em companhia de Drummond e Chico Buarque aqui em Lyon.

Quanto ao seu oratorio, me desculpe, é minha responsabilidade a demora, pq viqjei e nao peguei um contato para minha falar contigo, chego amanha a noite de viagem e terca ja confirmo o dia mlhor para vc pegar.

muito orbgado

Ana Tapadas disse...

Não li nada deste autor, confesso. Lendo o excerto fiquei maravilhada.
Obrigada por me ensinares o caminho destes autores, pouco conhecidos deste lado do mar.
Beijinho

Gerana Damulakis disse...

Flamarion: sim, Alberto Manguel foi leitor para Borges já cego. De Manguel tenho: Uma história da leitura, No bosque do espelho, Dicionário de lugares imaginários, Os livros e os dias, A biblioteca à noite, A cidade das palavras, À mesa com o Chapeleiro Maluco. Todos de ensaios. Abaixo de Leitora Crítica (repare na entrada do blog) há uma frase dele.
Beijos para você e Graça.

Flamarion disse...

Oi, Gerana.
Já havia reparado a frase. Nunca li nenhum livro desse autor. Apenas sei da história dele com Borges, o repertório de leituras que ele adquiriu lendo para Borges.
Graça manda beijo.
Beijo.

Pena disse...

Amiguinha:
MUITO OBRIGADO sentido e repleto de seriedade e sinceridade.
É um Anjo vindo dos céus.
Beijinhos. Muitos.
Com um respeito que cresce dia, após dia.
Sensibilizado e comovido...

pena

Bem-Haja, EXTRAORDINÁRIA AMIGA ENORME!
Hoje, não vim para comentar, é a primeira vez que o faço.
Virei, com prazer, de novo.
Muitas vezes. Desculpe.

O Sibarita disse...

Rraapaazz! kkk E não é que a dona moça é porreta mesma? Ora Se...! kkkk

Como boa baiana (eita terrinha retada! kkk)sabe tudo!

Pronto, tô na fonte límpida e cristalina do saber.

Aqui é o aprendizado, e ai fia, você acha que vou largar mais esse blog, é? kkkkkkkkkkkk Pode tirar seu cavalinho da chuva, viu? kkkkk

Seu blog, como diz o texto, já tomou, invadiu a sala, a copa, a sala. sim a casa inteira, oi que bom! kkkkk

Sei, tá retada, até agora nada falei do magnífico texto, né? kkk

Pois é, a biblioteca o melhor lugar para tentar compreender o estágio atual que vive a humanidade, aliás, o próprio texto ja diz isso, maravilha!

-Ô moço!
-Heim, o que é? kkk
-Você nem conhece a dona moça e já chega assim com toda essa intimidade?
-Xiiii... kkk é mesmo, me liguei agora! kkkk Ô Fia me desculpe, viu? Sabe como é baiano, espaçoso que só ele... kkkk
-Que cara de pau!
-Valha-me Senhor do Bonfim! Se rete não moça, sou gente boa! kkkkk

abraços,
O Sibarita

Nydia Bonetti disse...

Que texto!

Que coisa boa ter descoberto teu blog, Gerana. Sem dúvida, um dos melhores que já encontrei nos últimos tempos. Caminhar por aqui é sempre um aprendizado, uma emoção.

beijo!

Nilson disse...

Esclarecedor. E curioso ofício esse de leitor de Borges, o Leitor!

dade amorim disse...

Faz todo sentido, o texto de Manguel.
Literatura tem isso, alguma identificação e uma forma de salvação.

Abraço grande, Gerana.

Regina disse...

Olá minha nova amiga.
nunca lí nenhum livro desse autor, mas para mim foi esclarecedor.
Virei mais vezes.
Um blog de muitas informações literárias.
Uma semana de muitas realizações e paz.
Beijinhos doces, minha nova amiga.
Aguarod sua visita ao meu cantinho.
Fique na paz.
Amei seu espaço...
Regina Coeli.

aeronauta disse...

Se não fosse a literatura acho que já teria morrido.