quinta-feira, 30 de julho de 2009

ONTEM NA ALB

Gerana Damulakis

Ontem, na Academia de Letras da Bahia, a Fundação Pedro Calmon seguiu com suas palestras mensais. Desta feita, o escritor e acadêmico Aramis Ribeiro Costa falou sobre o mar na literatura baiana, desde os primórdios, passando pela poesia de Castro Alves, até chegar aos prosadores Vasconcelos Maia e Jorge Amado e aportando no Mar de Azov de Hélio Pólvora.
Na palestra seguinte, Jacques Salah, autor do belíssimo A Bahia de Jorge Amado, falou sobre Xavier Marques, recordando a visão crítica de David Salles, ao tempo em que, nas suas lembranças, ele trouxe o nome de Antônio Barros. Momentos preciosos para os amantes da literatura.
O parente direto de Xavier Marques, Celso Xavier Marques, tocou músicas inspiradas na obra de seu avô como, por exemplo, Jana e Joel.
Foto: Anderson Sotero

8 comentários:

maria guimarães sampaio disse...

Há que se trabalhar mais a divulgação desses encontros. Pela foto se vê lugar sobrando. Precisamos lotar as festas literárias.

Carlos Vilarinho disse...

Verdade, se eu soubesse iria...

Gerana disse...

Infelizmente não houve aquele convite que postei quando foi a vez de Kátia Borges, Ângela Vilma e Mônica Menezes e também quando fui eu e Goulart Gomes.
As palestras foram ótimas, Aramis e Salah ofereceram horas agradabilíssimas!

aeronauta disse...

Oh, que pena, dessa vez não me lembrei. Estava sabendo, mas no dia me envolvi com outras coisas e acabei me esquecendo. Pelo jeito perdi um grande encontro.

Janaina Amado disse...

Que tema interessante, o da fala de Aramis!

M. disse...

Eu também me enrolei com a vida e não pude ir. Aliás, ultimamente, a vida tem me roubado muito. Mas sempre que posso venho aqui. M.

hipergheto disse...

CICLO

Sob o sol sob o tempo
(em seu próprio agudo
ritmo)
dispersam-se intercruzam-se
--em ciclo implacável--
pássaros.

Sob o sol sob o tempo
reinventa-se
(esplendor cruel) o
ritmo.

Sob o sol sob o tempo
automáticas flores
inauguram-se.

Sob o sol sob o tempo
a vida se cumpre
autônoma.

Orides Fontela
Poesia reunida[1969 - 1996] Cosac Naify

hipergheto disse...

Infelizmente não pude respeitar a diagramação do poema, escrevi como foi publicado no livro, mas ao ser postado aqui ele se desfigurou. Grande abraço e vida longa.