domingo, 26 de abril de 2009

RESUMO




Gerana Damulakis

Estive apenas duas vezes na 9ª Bienal do Livro. Ambas no Café Literário. Passei pela Arena e vi Frei Betto, depois vi Ruy Castro, mas não havia tempo para assistir. Deliciosos foram os encontros com tanta gente: Myriam Fraga, Ruy Espinheira Filho, Maria da Paixão, Lima Trindade, Lázaro, Bernardo Linhares, Mayrant Gallo, José Inácio Vieira de Melo, Carlos Barbosa, Terezinha, Érica, Ana Bárbara Sousa e sua linda filhinha, Álvaro e Lícia, Pedro (do blog Primeira Necessidade), Bernardinho. E, surpresa, conheci Marcus Gusmão, do blog Licuri, e Soraya; os dois são muito simpáticos. No dia das poetas Kátia Borges e Mônica Menezes (fotos), o tema foi: Trazer a intimidade para a literatura é um desafio? Ambas debateram a questão e os respectivos pontos de vista eram, muitas vezes, diferentes, como são, desde logo, seus poemas; o que, de saída, enriquece a própria literatura. No sábado, a questão foi: Qual a diferença entre fazer um conto e um romance? Antônio Torres, Aramis Ribeiro Costa e Carlos Ribeiro (foto) falaram das facilidades e dificuldades quando da feitura de um texto em cada gênero. Para Torres, o conto exige maior esforço de produção. Aramis enfatizou que cada história pede por determinado gênero. Carlos confessou que se sente mais solto ao tecer um romance.
Fotos retiradas do site da Bienal: www.bienaldolivrobahia.com.br/

5 comentários:

Renata Belmonte disse...

Que pena que perdi! Adoro todos!
Bjs, querida!

gláucia lemos disse...

Eu queria justamente ir no dia dos 3 que falaram sobre contos e romance, minha área. É bom ouvir os pontos de vista na criação de gente que faz o que a gente também faz. Agora só na próxima.

Katia Borges disse...

Oi, Gerana, obrigada. Pela presença e pela lembrança. Beijão

Katia Borges disse...

Adorei essa foto, Gerana. Quero rir muito e muito e muito. Me adoro rindo. BJ

Lima Trindade disse...

Obrigado, Gerana. Para mim e para Lázaro também foi um grande prazer, com direito a tapinhas nas costas, não é?