sexta-feira, 14 de novembro de 2008

14 DE NOVEMBRO DE 1901: NASCEU SOSíGENES COSTA


O PAVÃO VERMELHO

Ora, a alegria, este pavão vermelho,
está morando em meu quintal agora.
Vem pousar como um sol em meu joelho
quando é estridente em meu quintal a aurora.

Clarim de lacre, este pavão vermelho
sobrepuja os pavões que estão lá fora.
É uma festa de púrpura. E o assemelho
a uma chama do lábaro da aurora.

É o próprio doge a se mirar no espelho.
E a cor vermelha chega a ser sonora
neste pavão pomposo e de chavelho.

Pavões lilases possuí outrora.
Depois que amei este pavão vermelho,
os meus outros pavões foram-se embora.

Um comentário:

gláucia lemos disse...

Sosígenes e seus poemas coloridos, lindíssimos. No dia 27 O grande pintor Itamar Espinheira estará inaugurando uma nova exposição na "Prova do Artista", Rio Vermelho. Entre os quadros expostos pode-se ver uma homenagem a Sosígenes, em uma tela na qual, ao lado da pintura, o artista transcreveu um soneto do homeonageado. Quam adquirir a tela, leva o poema de lambuja.