terça-feira, 8 de abril de 2008

POEMA DO MÊS

VIAGEM

Ana Cecília de Sousa Bastos


Ela registrou seus sonhos no caderno que lhe dei
de presente.
Ela arrumou na mala pedaços de sua alma.
Suas veias abertas sangram em despedida.
Ela diz adeus para lugar nenhum e parte,
sem quandos nem ondes.
Fantasmas melancólicos dormem em sua cama
solitária.

A lágrima sobre a mesa.



Ana Cecília de Sousa Bastos é autora de A Impossível Transcrição - De tudo fica a poesia (Salvador, 2007).

3 comentários:

Flamarion Silva disse...

Poema sangrado(como diria Gerana: "pungente"). A imagem criada é forte. Gostei muito de Ana Cecília.

Pereira disse...

Poema que nos faz viajar. Também gostei demais.

gláucia lemos disse...

Ainda não conhecia Ana Cecília. Comovente na sua espontaneidade. Ela escreve com a alma. E não precisa mais que um verso para pôr todo o sentimento naquele final. Excelente.